terça-feira, 29 de julho de 2014

Conhecendo a Graça Divina!

    Conhecer a graça de Deus não se trata de um mero ato de assentimento intelectual. Para conhecer este precioso dom é preciso ser contagiado.
     Li, recentemente, que a conversão do pecador em uma nova criatura envolve um ato de transcendência, uma abertura para o mundo espiritual. Aparentemente isto me pareceu um tanto questionável, já que a fé consiste em aceitar sem ver ou sentir. Mas fazendo uma busca na Palavra de Deus, bem como uma profunda reflexão em minha vida cristã, estou convicto de que ser discípulo é um fato ocasionado pela unção do Espírito Santo em cada pessoa.
     Como crente tenho lutado no decorrer da vida com meus erros e fraquezas. Sei que simplesmente lutar contra minhas más tendências é perca de tempo. Quem acha que vai vencer seus pecados com o mero exercício da força de vontade e autodeterminação, está fadado ao fracasso. Já li muitos métodos e manuais de santificação tentando buscar uma vida mais produtiva e aperfeiçoada. Nada substitui a ação do E.S.  Enquanto apenas confiar no meu moralismo, preparo intelectual  e base doutrinária, não alcançarei nenhuma mudança de natureza. Serei um crente de dupla personalidade, ou seja, um lobo com pele de ovelha.   
    Contudo, também noto que em certos momentos vivencio um mal estar espiritual porque me afastei de Deus ou dei ocasião ao pecado. Sendo assim devo concluir que a unção do Espirito Santo em minha vida pode ser enfraquecida ou fortalecida pelas minhas atitudes. Assim, minha atenção deve estar voltada para o fato de ter agradado ou desagradado o Espírito Santo hoje e não para a natureza meritória de minhas obras. 
    Isto faz uma grande diferença em minha visão espiritual, pois saio do mero moralismo ou de uma visão meritória baseada em obras próprias, para ter o foco no relacionamento com Deus.
     Os indicativos que qualificam minha vida espiritual, tais como: interesse em orar, ler, meditar e refletir sobre assuntos espirituais, são frutos do E.S. em mim. Assim se não estou querendo fazer mais nada disto, é porque o Espírito Santo está se afastando de mim ou se retirou por completo.
     Para obter Sua unção é preciso rendição. Se sentir carente, ter a  consciência de que não tenho os recusos para vivenciar a vontade de Deus. Clamar a Ele por misericórdia e socorro. Na sua bondade poderá atender e dar consolação à alma. Só Ele vivifica, fortalece e faz acontecer. 
     Ser filho de Deus é uma questão de mudança de natureza. Vai muito além de dogmas e doutrinas. Sem esta percepção é impossível ter uma experiência real com Deus. 

"Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade." Filipenses 2:13.
"Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem." Romanos 7:18.

Aguinaldo C. da Silva

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Valores Espirituais X Mentalidade Hedonista

     Vivemos numa época que para muitos o prazer e a satisfação própria é a única coisa que faz sentido. Esta mentalidade está dominando o ocidente, determinando valores e com certeza influenciando negativamente a espiritualidade.
      O Apóstolo Paulo se referiu a esta mentalidade como um engodo perigoso e que na sua época já estava adentrando na igreja.
      "Irmãos, sede imitadores meus e observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós. Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição , o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas." Filipenses 3:17-19.

      Esta tendência é desencadeada pela natureza humana egoísta e pecaminosa, que induz-nos a responder  aos estímulos carnais em detrimento aos valores espirituais. Em outras palavras o pecado aliena o ser humano de uma possibilidade maior, de interagir com o mundo espiritual, de ter uma experiência que envolva transcendência. O  diabo quer  que nos tornemos como animais, respondendo apenas a certos estímulos e paixões, que sejamos embrutecidos, sem sensibilidade e sem percepção espiritual.
      Na verdade é isto que o pecado faz conosco. Vamos nos bestializando e com nossas percepções embotadas já não nos damos conta que viramos animais. O propósito de Cristo é resgatar em nós a 'imago Dei', fazer gerar em nos a imagem e a expressão divina que nos foi conferida na Criação.
      
      No caminho do discipulado o segredo não é lutar contra um ego inflamado, mas  em  manter  dependência e ligação com Ele, a videira verdadeira. A luta contra o pecado só pode ser alcançada pela ação Dele em nós, através do Espírito Santo derramado à toda carne. 
       Jesus disse: " Por isso, vos digo: Pedi e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; e o que busca encontra; e a quem bate abrir-se-lhe-á. Qual dentre vós é o pai que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir um peixe lhe dará uma cobra? Ou se lhe pedir um ovo lhe dará um escorpião? Ora se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas a vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo aqueles que lho pedirem? Lucas 11:9-13.
     
     Esta é a única forma de se proteger diante da tsunami ideológica de natureza hedonista que domina a presente época. Buscar a unção do Espírito Santo é a solução para alcançarmos paz e contentamento, vencer a ansiedade crescente de nossa época, e a vitória sobre fraquezas e pecados. 

Aguinaldo C. da Silva 

segunda-feira, 14 de julho de 2014

De Volta à Casa do Pai

        
           De Volta à Casa do Pai  é o meu novo livro. Publicado neste mês (julho/2014), traz um apanhado da nossa história frente ao grande conflito universal que se iniciou no Céu.  Aborda de forma objetiva e clara o surgimento do paganismo e o desenvolvimento do povo de Deus, tanto no antigo como no novo Testamento. Faz uma apresentação  da decadência da igreja e da subversão da verdade, bem como da Reforma iniciada desde o século XVI, concluindo com uma reflexão sobre o remanescente da igreja cristã e seu papel no mundo.
        Disponibilizo aos leitores deste blog a aquisição do livro, podendo entrar em contato e fazer sua solicitação.  O custo é apenas R$7,00 + despesa de remessa. São 102 páginas no formato 19 x 12 cm.
     

segunda-feira, 7 de julho de 2014

O Fundamentalismo Religioso e os Eventos Finais

      Há algum tempo o Papa pediu o fim do fundamentalismo a judeus, cristãos e mulçumanos. Reportagem esta que pode ser lida aqui . O fundamentalismo religioso tem sido destacado nos meios de comunicação, em especial quando aumenta a escalada de violência no Oriente Médio. As grandes lideranças do mundo estão percebendo o fator 'Religião' como preponderante para a obtenção da paz em várias partes do mundo.
      A Wikipédia define 'fundamentalismo' da seguinte forma: "Fundamentalismo é um movimento que objetiva voltar ao que são considerados princípios fundamentais (ou vigentes na fundação) da religião. Especificamente, refere-se a qualquer enclave religioso que intencionalmente resista a identificação com o grupo religioso maior do qual diverge quanto aos princípios fundamentais dos quais imputa ao grupo religioso maior ter-se desviado ou corrompido pela adoção de princípios alternativos hostis ou contraditórios à identidade original." Ainda segundo a Wikipédia  o uso do termo 'fundamentalista' aplicado aos cristãos surgiram no início do século XX, com o protestantismo dos Estados Unidos, em especial com a publicação do livro Os Fundamentos. 

     Dentro desta conceituação os fundamentalistas são aqueles que divergem de um grupo majoritário, se apegando a um fundamento, no caso do Cristianismo a Bíblia, de forma  peculiar e distintiva. Contudo o radicalismo ou ultraconservadorismo proveniente dos chamados 'fundamentalistas' é nocivo à sociedade em função da intolerância religiosa ligada a atos de violência e discriminação. O que qualifica estes grupos  não é o fato de professarem uma verdade que se distingue das demais religiões, mas o propósito de suscitar violência. Por outro lado a elite intelectual dominante vê com maus olhos aqueles que  mantém uma visão do mundo centrada na fé e em valores religiosos. O secularismo está permeando todos os setores da sociedade, inclusive as igrejas cristãs, influenciando o modo de interpretar a Bíblia e sua aplicação prática. Assim uma grande parte destas igrejas já contempla uma visão alegórica da Bíblia, seguindo de fato a ética e os valores sociais vigentes.

     Minha conclusão é de que futuramente todos os que vierem a ser taxados de fundamentalistas por uma nova ordem mundial de governo, sofrerão sanções, podendo perder o direito à cidadania e a todos os direitos a ela concernentes. Não se distinguirá o real propósito de cada grupo que venha a ser considerado fundamentalista. Em outras palavras, todos serão colocados no mesmo caldeirão.  Aí se cumprirá parte de Apocalipse 13, ou seja, a perseguição aos que não receberem o sinal da besta nem adorarem a sua imagem. Acredito que não estamos vivendo muito longe disto. O mundo já se prepara para viver esta ideologia massificadora. Dia a dia vemos posturas e atitudes governamentais sendo tomadas em nome da coletividade, mas que na verdade tem o propósito de contemplar ou promover uma determinada ideologia ou política.  

Aguinaldo C. da Silva

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Cientistas afirmam que Deus produziu o Big Bang

No debate milenar entre a ciência e a religião, os cientistas e os religiosos apresentam seus argumentos tentando convencer os demais. Uma minoria busca um “mínimo denominador comum” convincente.
Esta semana, contudo, o embate entre criacionismo e Big Bang pode ter ganhado um capítulo importante. O professor Nathan Aviezer, da Universidade Bar Ilan de Israel veio a público defender fortemente que as crenças científicas e religiosas podem viver juntas em harmonia.
Ao lançar seu livro “In the Beginning” [No Princípio], ele afirmou que os cientistas há décadas estão buscando pelas ondas produzidas pela gravidade, mas esse tem sido um feito difícil. Afinal, a gravidade é um bilhão de bilhão de vezes mais fraca que as forças elétricas, que também produzem ondas.
Contudo, argumenta, “se houve uma enorme mudança gravitacional, então talvez com algum equipamento muito sensível, você poderia detectá-las.” Para ele, o Big Bang causou essa mudança “por isso não havia esperança de que talvez você pudesse ver as ondulações causadas pelo Big Bang”. É nesse momento que entra o relato do primeiro versículo de Gênesis, onde mostra que Deus criou o céu e a Terra.
Embora todos os cientistas também usem um momento inicial para o estabelecer o surgimento do universo, eles não necessariamente atribuem isso a Deus, preferindo argumentar que aconteceu espontaneamente.
Nessa disputa pelo primeiro momento, os cientistas apostam na explosão conhecida como Big Bang, enquanto judeus e cristãos defendem que foi o momento em que Deus disse “Haja luz”.
“A criação da luz foi essencialmente a criação do universo”, resume Aviezer. “Cada palavra escrita na Torá [Antigo Testamento] se encaixa nas descobertas científicas mais recentes. Elas estão em harmonia exata com as palavras da Torá. ”
O renomado rabino Benny Lau, concorda que essa teoria científica é compatível com a história judaica revelada no Livro de Beresheet [Gênesis]. Para ele, os conceitos de tempo na Bíblia não são os mesmos que aqueles que usamos agora, pois ‘um dia’ pode perfeitamente ser o mesmo que um milhão de anos. Mesmo assim, para Lau, as últimas descobertas científicas não alteram o entendimento judaico sobre como tudo começou.
O debate voltou a ocorrer após o material divulgado pelo astrônomo John M Kovac, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian. Esta semana, a equipe de cientistas americanos do projeto BICEP2, anunciou ter encontrado resíduos deixados pela chamada “inflação cósmica”. Esse é o nome dado ao crescimento exponencial pelo qual o universo passou em seu primeiro quadrilionésimo de segundo.
Usando poderosos telescópios situados no Polo Sul, eles comprovaram a existência de “micro-onda cósmica de fundo”, uma radiação muito fraca que permeia todo o universo. Tais ondas gravitacionais deixam marcas ao percorreram o espaço em sua “fase inflacionária”. As chamadas ondas gravitacionais funcionam na cosmologia como uma espécie de “eco” do Big Bang.
“Isso abre uma janela para um novo mundo da física, aquele que ocorreu na primeira fração de segundo do universo”, disse Kovac, que liderou as equipes do BICEP2 (Background Imaging of Cosmic Extragalactic Polarization 2)
Caso seja confirmada, a descoberta dos astrofísicos poderá lhes render um prêmio Nobel, pois seriam as provas necessárias para apoiar a teoria que o universo teve um começo.
O escritor e educador judeu Izzy Greenberg escreveu ao Jerusalém Post que: “Quando perguntamos sobre como o mundo foi criado, nós poderíamos ter tanto um Big Bang [Grande Explosão] quanto um Big Banger [Grande Explodidor]. Lembra que o famoso rabino-chefe de Israel Yitzchak Eizik HaLevi Herzog, em 1957 escreveu: “Segundo uma perspectiva científica, acreditamos que Deus criou bilhões de átomos, para os quais estabeleceu certas leis naturais. Esses átomos mais tarde desenvolveram-se e evoluíram de acordo com essas leis. Mas isso não é diferente que acreditar, segundo o relato simples de Gênesis, que Deus criou os céus e a Terra, no primeiro dia…”.
O professor Aviezri S. Fraenkel, do Instituto Weizmann, expressou um sentimento semelhante. Ele defende que a moderna teoria da cosmologia e a religião judaica, na verdade, podem se ajudar e se explicar mutuamente. Elas não anulam uma à outra. “Na verdade, as teorias modernas, mesmo que se aprofundem cada vez mais, ainda não explicam todos os fatos observados no cosmos, conferindo apenas um novo significado para o versículo de Salmo 92:5: “Quão grandes são, SENHOR, as tuas obras! Mui profundos são os teus pensamentos“. Com informações de Jerusalem Post.

Fonte:  Gospel Prime 
Nota. No alto da montanha ciência e teologia se encontram. A maior dificuldade de certos ateus é conceber um Deus tão grande que Nele se fundamente  energia, matéria e tempo. A nós não é dado conhecer todos os mistérios (Deuteronômio 29:29), por isto nos relacionamos com Deus pela fé. No entanto as evidências de Sua presença nas obras criadas são abundantes. Até a própria Fsica reconhece a impossibilidade de tudo se formar por processos naturais.