domingo, 30 de dezembro de 2012

Deus Existe?

Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com esta pergunta:

“Deus criou tudo o que existe?”
Um aluno respondeu valentemente:“Sim, Ele criou.”“Deus criou tudo?”

“Sim senhor”, respondeu o jovem.
O professor respondeu,

“Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal? Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau?”
O jovem ficou calado diante de tal resposta e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era um mito.

Outro estudante levantou a mão e disse:
“Posso fazer uma pergunta, professor?”
“Lógico.” Foi a resposta do professor.
O jovem ficou de pé e perguntou:

“Professor, o frio existe?”
“Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?”


O rapaz respondeu:

“De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é susceptível de estudo quando possui ou transmite energia, o calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia.
O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor”
“E, existe a escuridão?”


Continuou o estudante.

O professor respondeu: “Existe.”
O estudante respondeu:
“Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz.
A luz pode-se estudar, a escuridão não!
Até existe o prisma de Nichols para decompor a luz branca nas várias cores de que está composta, com suas diferentes longitudes de ondas.

A escuridão não!
Um simples raio de luz atravessa as trevas e ilumina a superfície onde termina o raio de luz.
Como pode saber quão escuro está um espaço determinado? Com base na quantidade de luz presente nesse espaço, não é assim?
Escuridão é uma definição que o homem desenvolveu para descrever o que acontece quando não há luz presente”

Finalmente, o jovem perguntou ao professor:
“Senhor, o mal existe?”
O professor respondeu:

“Claro que sim, lógico que existe, como disse desde o começo, vemos estupros, crimes e violência no mundo todo, essas coisas são do mal.”


E o estudante respondeu:

“O mal não existe, senhor, pelo menos não existe por si mesmo. O mal é simplesmente a ausência do bem, é o mesmo dos casos anteriores, o mal é uma definição que o homem criou para descrever a ausência de Deus.
Deus não criou o mal.
Não é como a fé ou como o amor, que existem como existem o calor e a luz.
O mal é o resultado da humanidade não ter Deus presente em seus corações.
É como acontece com o frio quando não há calor, ou a escuridão quando não há luz.”


Por volta dos anos 1900, este jovem foi aplaudido de pé, e o professor apenas balançou a cabeça permanecendo calado…

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

A turma do Design Inteligente 'falou e disse': não há tempo suficiente para a evolução ocorrer


BIO-Complexity, Vol 2012

Time and Information in Evolution

Winston Ewert, William A. Dembski, Ann K. Gauger, Robert J. Marks II

Abstract

Wilf and Ewens argue in a recent paper that there is plenty of time for evolution to occur. They base this claim on a mathematical model in which beneficial mutations accumulate simultaneously and independently, thus allowing changes that require a large number of mutations to evolve over comparatively short time periods. Because changes evolve independently and in parallel rather than sequentially, their model scales logarithmically rather than exponentially. This approach does not accurately reflect biological evolution, however, for two main reasons. First, within their model are implicit information sources, including the equivalent of a highly informed oracle that prophesies when a mutation is “correct,” thus accelerating the search by the evolu- tionary process. Natural selection, in contrast, does not have access to information about future benefits of a particular muta- tion, or where in the global fitness landscape a particular mutation is relative to a particular target. It can only assess mutations based on their current effect on fitness in the local fitness landscape. Thus the presence of this oracle makes their model radically different from a real biological search through fitness space. Wilf and Ewens also make unrealistic biological assumptions that, in effect, simplify the search. They assume no epistasis between beneficial mutations, no linkage between loci, and an unreal- istic population size and base mutation rate, thus increasing the pool of beneficial mutations to be searched. They neglect the effects of genetic drift on the probability of fixation and the negative effects of simultaneously accumulating deleterious muta- tions. Finally, in their model they represent each genetic locus as a single letter. By doing so, they ignore the enormous sequence complexity of actual genetic loci (typically hundreds or thousands of nucleotides long), and vastly oversimplify the search for functional variants. In similar fashion, they assume that each evolutionary “advance” requires a change to just one locus, despite the clear evidence that most biological functions are the product of multiple gene products working together. Ignoring these biological realities infuses considerable active information into their model and eases the model’s evolutionary process.

Fonte: Pós-darwinismo

Tradução do Google com minha participação:

Wilf e Ewens argumentam em um artigo recente que não há tempo suficiente para que a evolução ocorra. Eles baseiam essa afirmação em um modelo matemático do acúmulo das mutações benéficas  simultâneas e de forma independente, permitindo mudanças que exigem um grande número de mutações para evoluir durante períodos de tempo relativamente curtos. Como as mudanças evoluem de forma independente e em paralelo em vez de ocorrerem em seqüência, suas escalas de modelo são logarítmicas em vez de exponenciais. No entanto esta abordagem não reflete com precisão a evolução biológica  por duas razões principais. Primeiro, este modelo se baseia em fontes de informação implícita, exemplificado por um oráculo que profetiza dizendo se uma mutação  é "correta", apressando assim a ocorrência do processo evolucionário. Contrariamente, a seleção natural não tem acesso às informações sobre os benefícios futuros de uma determinada mutação, ​​ou em que local da Terra está relacionada a um objetivo específico.  Ela só pode avaliar as mutações baseadas nos efeitos atuais onde está ocorrendo. Assim, a presença deste oráculo faz este modelo ser radicalmente diferente de uma pesquisa biológica real num local específico. Wilf e Ewens também consideram que pressuposições biológicas irrealistas,  na verdade, simplificaram a pesquisa. Eles não assumem que não há relação entre mutações benéficas entre si, ou seja, sem ligação entre "loci" (a posição do gene ou do cromossomo), entre grupos de população irreal e dados de mutação de base, aumentando assim o leque de mutações benéficas a serem pesquisados. Eles negligenciam os efeitos da deriva genética sobre a probabilidade de fixação e os efeitos negativos de mutações deletérias que acumulam simultaneamente. Finalmente, nesse modelo  representa-se cada locus genético como uma única letra. Ao fazer isso, eles ignoram uma enorme complexidade sequencial da atual posição do gene (tipicamente centenas ou milhares de longos nucleotídeos), e  simplificam enormemente a busca de variantes funcionais. De forma semelhante, que pressupõem que cada "avanço" evolutivo requer uma mudança de apenas um lugar, apesar da clara evidência de que a maioria das funções biológicas são o produto de várias ações dos genes que trabalham juntos. Ignorar estas realidades biológicas dá consideráveis informações ativas imprescindíveis ao seu modelo e facilita o modelo do processo evolutivo.

Nota. Quem tiver uma tradução melhor, favor entrar em contato. Mesmo assim dá para entender mais um aspecto que inviabiliza o processo evolucionário. A falta de tempo suficiente para se dar, de forma espontânea, a evolução das espécies é algo para se levar em consideração. A cada dia surgem novas análises que tornam a aceitação da evolução numa questão de fé.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Pesquisa revela que 37% das pessoas acreditam que o Papai Noel foi o primeiro a visitar Jesus na manjedoura


Uma pesquisa feita com mais de duas mil pessoas na Grã-Bretanha, a pedido da Sociedade Bíblica Britânica (SBB), descobriu que boa parte das pessoas acredita que o personagem Papai Noel é uma figura histórica, e que teria visitado Jesus na manjedoura.
A pesquisa revelou que 37% das pessoas acreditam que Noel tenha sido o primeiro a visitar Jesus após seu nascimento. Outros 46% responderam corretamente, afirmando que foram pastores da região.
O levantamento foi feito por uma empresa especializada em pesquisa, e identificou que 2% dos entrevistados acreditavam que José e Maria descobriram que ela estava grávida no primeiro encontro. Nesse quesito, a maioria, 60%, respondeu que eles eram casados, e apenas 26% respondeu que eram noivos, conforme o relato bíblico.
-O percentual de conhecimento sobre a história do Natal ainda é alto. Isso mostra o poder dessa história. A pesquisa mostra que, ao ignorar que Maria e José não eram casados, perde-se a noção do escândalo que havia na época – declarou Ann Holt, diretora da SBB, numa entrevista ao siteTelegraph.
A pesquisa averiguou ainda, que 98% apontaram corretamente a cidade natal de Jesus, Belém, porém os outros 2% responderam que tratava-se de Beirute, capital do Líbano.
As perguntas foram feitas em formato de múltipla escolha, e a pesquisa tinha como objetivo, saber o real conhecimento da população, majoritariamente cristã no país, sobre a religião.
Fonte: Gospel+
Nota: No final dos tempos a fé estaria em baixa, isto é profético, e reflete na falta de conhecimento sobre o personagem que dividiu a história. Infelizmente a superficialidade e o desinteresse da geração atual se manifesta também em outros aspectos do conhecimento, como na falta de informação sobre a Bíblia, o criacionismo, as bases científicas, ou melhor, a falta delas na base do evolucionismo. Com tanto desinteresse e falta de vontade de pensar e refletir principalmente por parte dos jovens, fica fácil a disseminação das superstições, misticismo e toda sote de engano. Devemos ser amantes da verdade, fazer como os bereanos que com afinco buscavam o conhecimento da verdade na Palavra de Deus.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

21/12/2012 e o mundo não acabou!

       A data tão esperada pelos místicos e exotéricos chegou e nenhuma destruição cataclísmica aconteceu. Realmente foi um erro de interpretação ou uma desculpa para não colocar os mencionados prognosticadores em ridículo?

       Uma das evidências que me faz crer na volta de Jesus a Terra é o cumprimento dos sinais que foram anunciados na Bíblia. Em Mateus, capítulo 24 está escrito que surgiriam falsos profetas entre outros fatos que marcariam a proximidade de sua volta. Podemos entender que esta profecia maia se enquadra no grupo das falácias dos falsos profetas. 
        Isto acaba trazendo um resultado bom e ruim ao mesmo tempo. Bom por vermos um sinal da segunda vinda de Jesus se cumprindo e ruim no sentido de enfatizar o ceticismo e a incredulidade de muitos, negando não somente as predições dos falsos profetas como também a Bíblia.

           Para mim a Bíblia é a única fonte confiável. Num mundo que é palco de um conflito cósmico, sempre é bom checar as fontes. O inimigo de Deus costumeiramente distrai as pessoas para que tirem o foco do que é real e verdadeiro segundo a Palavra de Deus. Assim muitos se enveredam pelo caminho do engano deixando de prepararem-se para o encontro com Cristo. A obra de engano de Satanás não se limita ao campo do misticismo e espiritualismo, mas atua até nas igrejas ditas cristãs evangélicas. A diferença entre a verdade e o erro chega a ser sutil em nossa época. Falsos, dons, profecias e doutrinas se multiplicam no meio religioso. O antídoto contra tais enganos é conhecer o que diz a palavra de Deus. " Se não falarem segundo a lei ao testemunho, jamais verão a alva." Jer. 8:20.

          Sobre o fim real deste mundo de pecado, não só a Bíblia, mas as circunstâncias ambientais, econômicas e sociais neste mundo apontam claramente. É claro que só a Bíblia expõe os motivos e as verdadeiras causas deste evento. A Bíblia também fala do amor de Deus que é a solução e a fonte de esperança para a humanidade. Uma nova era realmente está prestes a chegar e nela estarão aqueles que amam a Sua vinda ( II Timóteo 4:8).

Aguinaldo C. da Silva

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

A Doutrina da Expiação

A doutrina da expiação não é uma teoria abstrata de salvação. Ao contrário, ela é o poder salvador de Deus atuando diretamente na vida de seres caídos, cheios de pecados.
O que é expiação? De uma forma geral, poderíamos dizer que a palavra “expiação” se refere à remoção de qualquer obstáculo que nos atrapalharia de seguirmos a Deus. Em um sentido, expiação é o mesmo que reconciliação. Mas também está relacionada com a idéia de redenção. Isso é um trabalho pelo qual nós, seres humanos, somos restituídos à nossa condição que seria a original, que é vivermos na presença da santidade de Deus, eternamente. Seria a completa destruição da condição de pecado que existe aqui neste cantinho do Universo.
Concluindo, a doutrina da expiação é um ensinamento bíblico que enfatiza o sacrifício e todo o trabalho de Cristo como o meio exclusivo pelo qual a barreira do mal que existe entre Deus e nós é removida, levando-nos de volta à reconciliação de paz com Ele. Essa é a essência da mensagem bíblica, que pode ser traduzida por uma única palavra: amor.
 
Fonte: http://www.nasaladopastor.com

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A atitude anticientífica da Nomenklatura científica

Quando a questão é Darwin, para a Nomenklatura científica nada tem importância. Todas as críticas às dificuldades fundamentais da teoria da evolução de Darwin no contexto de justificação teórica, mesmo as feitas por abalizados cientistas, são vistas como sendo meramente manifestação de desconhecimento do que é  a evolução, ou como evidências de conspiração religiosamente motivada. Nada mais falso!
Resultado: banalizaram-se os valores epistemológicos, derrubaram-se as divisas entre o cientificamente certo e o errado, e contra a ciência, interditou-se o exercício do contraditório e do livre pensar na Academia.
Pobre ciência!!!
Fonte: http://pos-darwinista.blogspot.com.br/

domingo, 16 de dezembro de 2012

Pesquisador encontra evidências do Dilúvio

Robert Ballard é um dos exploradores subaquáticos mais famosos do mundo. Foi ele o arqueólogo que descobriu onde estavam os destroços do naufrágio do Titanic, em 1985. Também encontrou no fundo do mar o navio de guerra Bismarck, e uma frota dos EUA naufragada perto de Guadalcanal, no Pacífico.

Agora, ele está usando sua equipe e a mais avançada tecnologia robótica para provar a existência de uma das histórias mais conhecidas da Bíblia: o Dilúvio.
Em uma entrevista para a rede ABC ele apresentou os resultados de sua pesquisa na Turquia que mostraria evidências de uma civilização varrida da face da Terra por uma enchente monstruosa.
“Nós fomos lá para procurar o Dilúvio”, disse Ballard. “Não apenas um movimento lento, e gradativo de avanço do nível do mar, mas um dilúvio realmente grande… A terra que foi soterrada permaneceu embaixo do mar”.
Outros já afirmaram ter descoberto evidências do dilúvio bíblico. Na década de 1990, os geólogos William Ryan e Walter Pitman reuniram evidências científicas de que uma enorme inundaçãoocorreu na região do Oriente Médio, cerca de 7.500 anos atrás. A teoria, segundo os relatórios, é que uma elevação sem precedentes do que hoje é o mar Mediterrâneo, empurrou uma porção de terra através do Bósforo, submergindo a costa original do Mar Negro. Esse dilúvio antigo teria coberto uma área de mais 35.000 quilômetros quadrados.
Ballard afirma ter investigado esta teoria por mais de uma década. Segundo os relatórios da National Geographic, a primeira descoberta de evidências da costa submersa surgiu em 1999. Embora Ballard ainda não estivesse convencido de que se tratava do dilúvio bíblico, no ano passado mudou de opinião. Sua equipe encontrou no fundo do Mar Negro pilhas de cerâmica antiga, uma embarcação e um dos membros da tripulação. Também há vestígios do que ele acredita ser um antigo porto, mais de 150 metros abaixo da superfície.
“Isso é um naufrágio perfeitamente preservado. Dá pra ver toda a madeira antiga, parece um depósito de madeira”, disse ele. “Mas se você olhar de perto, poderá ver um fêmur e um molar.” E acrescenta:  ”O mais antigo naufrágio descoberto até agora naquela área data de cerca de 500 a.C.”.
Agora, usando tecnologia avançada ele tenta descobrir o que ocorreu no planeta cerca de 12.000 anos atrás, uma época em que grande parte da Terra estava coberta de gelo. Quando esse gelo começou a derreter, grandes inundações poderiam ter atingido várias partes do globo, submergindo tudo que estivesse em seu caminho.
Usando o método de datação de carbono em objetos recolhidos na expedição, Ballard acredita que esse evento catastrófico aconteceu em torno do ano 5.000 aC. Alguns especialistas acreditam que foi aproximadamente nesse período que ocorreu o dilúvio de Noé.
O pesquisador disse estar ciente de que nem todos concordam com suas conclusões sobre o período e o tamanho do dilúvio, mas está confiante que em breve encontrará algo do período bíblico. “Começamos a encontrar estruturas que pareciam feitas pelo homem”, disse Ballard. “É nisso que estamos focando nossa atenção agora.”
Os restos do naufrágio estão bem preservados porque o Mar Negro quase não tem oxigênio, o que retarda o processo de decomposição. Para Ballard “o fundo do mar é o maior museu da Terra”.
Ele não tem expectativas de encontrar a Arca de Noé, mas acredita que pode encontrar evidências de um povo que vivia ali quando o mundo foi inundado, cerca de 7.000 anos atrás.
Com muita confiança de que poderá encontrar as provas que procura, Ballard planeja voltar para a Turquia no próximo ano. Suas descobertas serão apresentadas em um programa especial no ABC channel que vai ao ar nos dias 21 e 28 deste mês nos Estados Unidos.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

O Certo e o Errado na Expressão do Pensamento



A falta de espírito de pesquisa, investigação, é o maior responsável pela superficialidade cultural de nossa geração. Superficialidade esta que se estende a vários campos do saber, até a consideração do que é verdadeiramente científico foi afetado por esta onda de acomodação ao que é proclamado por uma elite, sem ser examinado a veracidade dos fatos.



       Exemplificando o que estou tentando dizer: Galileu contestou o que se acreditava na época, porém sua proposições foram confirmadas pela verdadeira ciência e continuam sendo de forma inabalável até hoje. Ninguém escreve um livro com o título “A Caixa Preta de Galileu” ou “O Delírio de Galileu”.

Uma teoria, caso não seja verificável empiricamente, deve ter respaldo na lógica clara ou na fundamentação matemática, para que seja considerada científica, ou seja, para que não se torne em mera tese, uma divagação ou fantasia, no intuito de sustentar uma ideologia ou doutrina.

O que foi no passado considerado como ciência, hoje deve ser reconsiderado pelo crivo das novas descobertas, para que se continue sendo assim considerado ou não. Só para exemplificar: no tempo de Charles Darwin se acreditava que o interior da célula vegetal ou animal era basicamente composto de uma gelatina muito simples.  Com a  descoberta do DNA se constatou que esta era muito complexa, que continha um intrigante sistema de informação minuciosamente detalhado e incrivelmente organizado.



Um exemplo de quem não se deixa dominar pelo dogmatismo, mas tem a mente aberta até para mudar de lado, se for preciso, é o do Dr. Francis Collins. Este cientista se declarava ateu até sua participação no projeto Genoma (mapeamento genético humano), onde  atuou como coordenador. A partir daí passou a ser teísta, escrevendo o livro “A Linguagem de Deus”. 

      Hoje o fundamentalismo não se restringe ao campo religioso, pois também foi copiado por aqueles que se manifestam contra ele. Talvez a motivação por traz destes seja ilustrada pela frase de Ivan Karamazov em Os Irmãos Karamazov, personagem de Dostoiévski : "Se Deus está morto, então tudo é permitido." Neste caso pode-se entender por Deus a verdade e o princípio. 



Pode ser atraente para alguns rumar para o niilismo, simplesmente virando a mesa das verdades e dos valores estabelecidos, mas isto não evidencia necessariamente evolução intelectual. Simplesmente abusar da subjetividade sem avistar um ancoradouro que justifique  as proposições propostas, serve para quem quer ficar andando sem chegar a lugar algum. Afinal somos seres racionais, e isto faz toda a diferença em relação às demais espécies, que não tem pensamento reflexivo, não desenvolvem ciência, não estabelecem moral, ainda que por instinto nos dêem, em alguns momentos, lições de ética e solidariedade.

             

Como participantes de um contexto cultural amplo e abrangente do qual somos agentes de constante transformação, acho cabíveis estas colocações não para sustentar um posicionamento, mas para abrir o campo de visão de muitos, que infelizmente se deixam guiar pelo que diz certo setor da sociedade, que por coincidência detém o poder da grande mídia.
Ser cidadão no mundo de hoje, globalizado e multicultural requer olhar atento,   do que é ideológico e do que é científico, do que fantasioso e do que é real, para que possamos melhor fazer nossas escolhas.

Aguinaldo C. da Silva

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Sexo prematuro é prejudicial ao desenvolvimento do relacionamento

Pesquisadores americanos entrevistaram 11.000 pessoas que estavam em relacionamentos sérios, pedindo que eles classificassem seu nível de satisfação com o relacionamento, a capacidade de se comunicar com seu parceiro e a estabilidade da relação (com que frequência eles achavam que o relacionamento estava em perigo).

Entre aqueles que estavam juntos a pelo menos um ano, pessoas que haviam iniciado a prática sexual antes do final das primeiras semanas de namoro tinham níveis mais baixos de satisfação no relacionamento, comunicação e estabilidade quando comparados a casais que tinham decidido esperar mais ou que se abstinham de sexo.

Os resultados foram mantidos mesmo após os pesquisadores considerarem fatores como raça, educação, número de parceiros sexuais e participação religiosa.

A literatura médica possui trabalhos que mostram resultados semelhantes, apontando que quanto mais tempo casais esperavam para transar antes do casamento maior era sua satisfação dentro do relacionamento.

Porém, os pesquisadores não podem esclarecer o porquê de essa associação existir. É possível que casais que iniciem a prática sexual mais cedo tenham expectativas mais altas de frequência da prática e do interesse do parceiro no sexo, sendo que essas são coisas que tendem a declinar com o tempo.

“Os desentendimentos eventuais entre as expectativas sexuais individuais e as recompensas reais podem prejudicar os processos saudáveis da formação do casal”, explicam os pesquisadores.

Porém, pode haver outra explicação, como diferenças de personalidade entre pessoas que escolhem fazer sexo logo e aquelas que decidem esperar.

A pesquisa foi desenvolvida na Universidade Brigham Young e publicada no periódico Journal of Sex Research.

Fonte: Live Science, 5 de dezembro de 2012 (via Boa Saúde)

Nota. Hoje se dá muita ênfase no sexo, como se fosse a caisa mais importante de um relacionamento. Na realidade deveria ser a culminância de um relacionamento bem sucedido, onde as afinidades pessoais e de caráter já fossem verificadas. Por isto a Bíblia determina princípios que foram criados para a nossa própria felicidade, Deus sabe o que é melhor para nós e assim estabeleceu em sua lei para o nosso próprio benefício.


quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Oscar Niemeyer estava quase certo

Em entrevista, exibida pelo Jornal Hoje edição de 06/12/2012, Niemeyer afirmou: “Os mais inteligentes se queixam do mundo. Acham que o mundo é cheio de... tem prazeres, tem alegrias, mas a finalidade, a razão de a gente estar aqui é muito precária. Mas ninguém quer ir embora"

 A afirmação dele está certa, olhando pela ótica do secularismo, ora em voga em nossa sociedade. Ao vermos as penumbras, perdas e sofrimentos pelos quais passamos nesta vida, parece natural termos um olhar obscuro para com a realidade. Tudo ainda fica mais sem sentido quando  não reconhecemos uma razão especial para estarmos aqui. Razão pela qual "os mais inteligentes" que ele considera, que na verdade são os filósofos e vulgos intelectuais, olham para a vida sem esperança. Que esperança podemos ter, se interpretamos a vida como um lapso de tempo no qual cada minuto que passa é um a menos para nos defrontarmos com a morte?
          Jesus disse: "Eu vim para que tenham  vida, e a tenham em abundância" (João 10.10). Ter fé realmente que somos criados por Deus e que temos a oportunidade de salvação através do sacrifício de Jesus, faz toda a diferença. Um novo olhar sobre a vida surge para quem toma esta consciência, que aceita pela fé os meritos de Jesus.
        O mundo desconhece ou ignora a realidade do evangelho, sendo considerado por eles como loucura, como disse o Apóstolo Paulo. Para mim é muio mais inteligente crer, pois se tudo for fantasia, no futuro nada perderei. O contrário não pode ser considerado assim.  Contudo, minha fé não subsiste em uma mera aposta. No decorrer dos anos que já caminho com esta esperança encontrei subsídios suficientes para ter a certeza de que Deus existe e que sua Palavra é fidedigna. O mundo está farto de teorias e  pretensas filosofias que querem saciar o homem, mas nada mais fazem que jogá-lo num vazio profundo e escuro. A verdadeira saberoria se constroi com fé, não somente no ser humano e na vida, pois estes passam depressa e muitas vezes nos decepcionam. Precisamos aprofundar nossas raízes em algo sólido. Como disse Jesus, devemos construir nossa casa na rocha da salvação.

Aguinaldo C. da Silva

Comunicação com ET's em menos de 20 anos, prevê fórum

Carta reivindicando a liberação de todos os arquivos confidenciais do governo brasileiro sobre objetos voadores não identificados. Apresentação de dados que provariam diversas visitas de extraterrestres ao nosso planeta. Estimativa de comunicação de humanos com ETs em, no máximo, 20 anos. Esses são os destaques do IV Fórum Mundial de Ufologia, que ocorre de 6 a 9 de dezembro, no hotel Golden Tulip em Foz do Iguaçu.
De acordo com o coordenador do evento e editor da revista UFO, o jornalista Ademar Gevaerd, a edição de 2012 ganha dimensão maior devido à crescente evidência da ufologia na mídia nos últimos anos, especialmente na América Latina. O Fórum tem público esperado de mil pessoas e um total de 37 conferencistas representando 17 países, 23 palestrantes a mais do que na edição anterior. As conferências, sobre temas como casos ufológicos, posição dos governos sobre a ufologia, evidências de contato e conscientização global sobre a "realidade extraterrestre", devem durar, em média, de 40 a 50 minutos.
O coordenador do evento afirma que os conferencistas revelarão dados que projetam uma comunicação entre humanos e "outras criaturas inteligentes" em, no máximo, duas décadas. Assim, os organizadores esperam conscientizar as pessoas de que a realidade extraterrena pode estar mais próxima do que elas acreditam. Os canais Discovery e History Channel devem produzir documentários sobre o encontro e os dados divulgados.
"O assunto está deixando de ser tabu. A intenção do evento é levar essas importantes informações para toda a sociedade. É para leigos, é para todo mundo. Não especificamente para os especialistas. Até o Vaticano está reconhecendo muitas coisas", resume Gevaerd.
De acordo com Gevaerd, há um cenário favorável ao tema no Brasil, já que em 2007, o governo brasileiro revelou parte dos arquivos confidenciais sobre objetos voadores não identificados. Conforme o jornalista, no entanto, muitos documentos não foram liberados. A Operação Prato, de 1977, seria um exemplo. Naquele ano, relatos da população de Colares, no Pará, levaram a FAB a deslocar mais de 20 militares para uma operação especial: registrar e verificar ocorrências de luzes hostis e manifestações misteriosas. Munidos de câmeras fotográficas e filmadoras, os agentes não viram nada fora do comum nos dois primeiros meses. Depois, no entanto, tudo mudou: objetos luminosos se movimentando erraticamente, naves maiores do que prédios de 30 andares e depoimentos chocantes da população ribeirinha. A operação resultou em 2 mil páginas de documentos, 500 fotos e 16 horas de filme. Mas apenas 300 desses documentos foram divulgados pelo governo.
No evento, será assinada a Carta de Foz do Iguaçu, um manifesto para que outras nações sigam o exemplo da liberação de documentos sigilosos sobre o assunto e que o próprio Brasil abra o restante dos arquivos oficiais sobre óvnis. "Ela deve ser assinada inclusive por autoridades militares, religiosas e pesquisadores de vários países que estarão presentes no evento", afirma Gevaerd.
 
 
Nota. Esta é uma estragégia ousada do inimigo de Deus que está sendo aperfeiçoada nos últimos tempos no intuito de enganar a muitos. Sempre foi intento de Satanás contrafazer os atos de Deus, este  artifício é o meio para contrafazer a segunda vinda de Cristo. Aqueles que estiverem alicerçados na Palavra não cairão neste engano. 

Evidências - Candidatos a Messias





Nota. Na época de Jesus, tanto um pouco antes quanto depois, se levantaram vários candidatos a Messias, no entanto todos se foram e seus seguidores se dispersaram. Jesus, no entanto, foi o único a marcar a história e seus seguidores cresceram chegando ao número de dois bilhões atualmente. Jesus foi diferente porque é de fato o Messias predito pelos profetas do Antigo Testamento.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Igreja Viva

Um dos traços que mais me chamam a atenção na Igreja de Atos é a qualidade da comunhão que seus membros mantinham entre si. Nas entrelinhas dos textos bíblicos podemos ver um povo feliz, animado, vibrando por amor a Deus e a seus irmãos e irmãs. Uma comunidade de fé que nem os maiores pensadores do Socialismo dos séc. XIX e XX poderiam almejar. Aliás, a ÚNICA comunidade verdadeiramente Socialista na História deste mundo foi aquela que nasceu das palavras de Jesus e da liderança dos apóstolos. Depois dela, nenhuma outra existiu com tanta valorização do significado de “UNIDADE” sem opressão, torturas ou morte (por parte de seus próprios membros).

E hoje? Como é que está o “remanescente” daquela Igreja tão amada e amante?

Há cerca de 2 anos, em uma Lição de Escola Sabatina, por exemplo, novamente estudamos sobre a manifestação do Espírito Santo em nossas vidas. Na ocasião, reavivamos os “conceitos” teóricos de amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade e fidelidade. Mas, em que isto modificou a minha ou a sua vida? Até que ponto nos tornamos mais amorosos, alegres, pacientes, etc.? Foi apenas mais uma teoria relembrada, ou deixamos que o Espírito Santo, o Consolador Prometido, nos tenha moldado ao longo daqueles 3 meses?

Pregamos sobre o amor, mas não aprendemos ainda como amar…

Pregamos sobre perdão, mas não aprendemos ainda a perdoar…

Pregamos sobre fé, mas não aprendemos ainda a mantê-la nas horas de duras provas…

Pregamos sobre salvação, mas não nos sentimos “lavados pela graça” de Cristo…

Pregamos sobre evangelização, mas não sentimos ainda o desejo de sair de nossos casulos para irmos em busca dos perdidos…

Nota. Este texto é um trecho do artigo com título "Igreja Primitiva x Laodicéia" postado no site ADVIR . Este traz um apelo forte para a conscientização individual como cristão, o qual acho que é uma prioridade em nossos dias. Enquanto não vivermos o evangelho de forma exuberante Cristo não voltará. Precisamos de um reavivamento e isto só ocorrerá quando cada cristão buscar algo mais que o "feijão com arroz" de cada dia, ou seja: ir à igreja uma vez por semana,  ser considerado moralmente correto, ler a Bíblia de vez em quando, etc... Precisamos perceber que isto é pouco, necessitamos nos desvencilhar do que está tolhendo a fé e dar um grande abraço na graça redentora de cristo. Com espírito de gratidão e júbilo seremos transformados, pois temos um Deus que nos ama, morreu para nos salvar e está voltando. Esta realidade deve encher nossa alma, não podemos andar desanimados ou apáticos frente as promessas de Jesus. Caso contrário já apostatamos e precisamos ser reavivados ou convertidos novamente.